Política

15/12/2017 06:51 Eliza Gund/FlorestaNet

Alta Floresta: Dida Pires avalia ano positivo e cobra mais presença do executivo

Em entrevista concedida ao Programa Atualidades da Radio Bambina FM, o vereador, eleito para o 5º mandato, Silvino Carlos Pires Pereira (PPS), o Dida Pires, fez um balanço do ano de 2017, e apresentou suas ações junto ao poder público, nas esferas municipal e estadual. “Foi um ano positivo. Tem uma problemática, mas a gente está confiante que 2018 vai melhorar”.

Eleito com 1.172 votos, Dida é o vereador conhecido por suas ações sociais, principalmente na questão de aposentadoria permanente e benefícios continuados, sobre os seus trabalhos ele fala com orgulho. “Estou no quinto mandato, tenho as minhas falhas não sou perfeito, mas graças a Deus nunca levei ateste de corrupto, de malandro, vagabundo, sempre tive votação expressiva e o comprometimento que eu fiz foi na questão social, isso se a administração não fazer eu faço do bolso”.

Dida destacou que em 2017 fez inúmeras cobranças relacionadas ao meio social, e confirmou que teve apoio da Secretaria de Assistência Social do município. Entre as suas cobranças estão principalmente a qualidade de vida dos munícipes, na área da saúde pública frisando a falta de medicações nos postos de saúde. As expectativas são de que as emendas destinadas, nos valores de R$ 2 milhões e R$ 400 mil, para os bairros Jardim Guaraná e Boa Esperança, saiam do papel e sejam aplicadas as melhorias nestes setores, esperando amis comprometimento do poder púbico municipal nestas questões dos serviços essenciais.

GOVERNO

Ao avaliar o governo Pedro Taques, Dida dá nota 05. Um governo marcado por escândalos de corrupção, tendo em vista ter o governador que levantou a bandeira contra a corrupção no Estado, o vereador explica a nota. “Às vezes você confia até em um parente teu, e o cara depois te dá o balão, nas suas costas pratica os erros. É evidente que toda administração tem suas problemáticas, agora o gestor tem por obrigação estar permanente, fiscalizando e acompanhando de perto”.

Sobre as promessas de campanha, sendo a situação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo – UTI – uma das principais moedas de votos no município, o vereador frisa. “Tanto o governo como alguns representantes estão em dívida com o nosso município, exemplo disso são os leitos de UTI que foram prometidos várias vezes, desde o governo do Silval”, apontou falando de falhas, “Governo Taques se comprometeu. Ele está em falha não só com os políticos, ele está em falha com toda a região e população, ele está em dívida e esperamos que ele agora em 2018 realmente faça alguma coisa”.

ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL

Sobe a administração pública municipal, Dida acredita que em partes tem reflexo da crise econômica enfrentada no país, por causa da corrupção e em consequência das operações, muitas pequenas empresas fecharam as portas, os cofres públicos foram “trancados” pelo Governo Federal, não sendo mais liberados financiamentos e convênios, tanto para beneficiados com s projetos do governo, como o Balsa Família, quanto para as prefeituras. Fator que foi agravado neste início de mandato em 2017. “Eles acabaram contratando além do limite, evidente que a prefeitura tem os efetivos, tem a necessidade de fazer algumas contratações, mas ultrapassaram e isso trouxe todo um transtorno administrativo para ele, porque com toda essa problemática de crise econômica, não estava se mantendo a folha em dia, ainda não está em dia, e isso dificultou outros setores”.

Para Dida está claro que o remanejamento de recursos de outras secretarias para cobrir a folha de pagamento, impactou nos serviços básicos, como a aquisição de materiais para as unidades de saúde, a contratação de médicos especialista, ente outros fatores. Sendo um vereador neutro, nem da situação e da oposição, Dida fez cobranças ao prefeito Asiel Bezerra, para que esteja mais presente nas ações de suas secretarias, para que junto os secretários em 2018, possa ter um controle maior dos gastos de cada um, evitando assim os problemas gerados em 2017.

13º SALÁRIO

Indagado sobre o 13º salário, Dida frisa, “Não foi a Câmara que criou o 13º, câmara não pode sair criando algo que não esteja na Constituição, acima da Lei Federal, então a Câmara regulamentou”, destacando outras leis regulamentadas como a da licença-maternidade, criada e regulamentada em 2009. Destacou ainda que todas as Leis Federais precisam ser regulamentadas nos municípios, uma forma de “acertar os ponteiros” adequando a realidade de cada município.

A entrevista foi cedida na quarta-feira, 13 de dezembro.


O site Florestanet, foi o primeiro site de notícias de Alta Floresta, teve a sua operação iniciada em 1999, sendo um dos pioneiros no jornalismo on-line.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo