Policia

Geral 03/10/2017 15:05 Agência Brasil/Sema

PF deflagra operação contra fraudes no setor madeireiro

A Polícia Federal (PF) deflagrou ontem (03) em conjunto com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama),  a Operação Floresta Virtual, que investiga fraudes dos sistemas Flora e Documento de Origem Florestal (DOF), utilizados no monitoramento da venda e do transporte de produtos florestais. Segundo cálculo inicial, o valor dos danos ambientais causados pela prática da rede criminosa, que atuava nos estados do Pará e de Mato Grosso, chega a R$ 1 bilhão.

De acordo com a corporação, após montar madeireiras de fachada, com eventual uso de “laranjas”, engenheiros florestais e empresários manipulavam os dois sistemas para vender produtos extraídos de áreas protegidas, como áreas de preservação permanente, unidades de conservação e terras indígenas. A estratégia do grupo de burlar os sistemas consistia em gerar créditos dos produtos e transferi-los a empresas localizadas em regiões de maior potencial madeireiro, a fim de maquiar sua ilegalidade.

A operação cumpre mandados de busca e apreensão nos municípios mato-grossenses de Cuiabá, Itaúba, Nova Monte Verde, Santa Carmem e Sinop. Os investigados responderão por diversos crimes contra a flora, por furto e receptação de madeira, lavagem de capitais e falsidade ideológica.

Sema esclarece ‘Operação Floresta Virtual’

Referente à ‘Operação Floresta Virtual’, deflagrada nesta terça-feira (03.10), pela Polícia Federal em conjunto com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) esclarece que:

  1. Tem agido de forma criteriosa na fiscalização ambiental no estado, bem como na execução adequada dos manejos florestais, a exemplo disso é o aumento de áreas fiscalizadas em 2016, que cresceu 214% em relação ao mesmo período de 2015. Ao todo, foram 193 áreas em 9 mil hectares vistoriados por desmatamento ilegal, frente a 61 áreas em 6 mil hectares em 2015.
  2. Importante destacar que, o secretário de Estado de Meio Ambiente, Carlos Fávaro e a secretária adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos da Sema, Mauren Lazzaretti, se reuniram com a presidente do Ibama, Suely Araújo, no dia 19 de setembro, em Brasília, para solicitar os relatórios  de fiscalização decorrentes de todas as autuações que desconsideraram o estoque contido no SISFLORA por não ser apresentada cadeia de custódia, com o intuito de dar sequência nos demais atos sancionatórios, como suspender autorizações emitidas e bloquear o Cadastro de Consumidores de Produtos Florestais (CC-Sema) para evitar prejuízos ao meio ambiente.
  3. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente está sempre disposta a atuar em parceria com os demais órgãos de controle e adotará todas as medidas cabíveis e pertinentes ao estado para cessar a continuidade desses crimes ambientais.

O site Florestanet, foi o primeiro site de notícias de Alta Floresta, teve a sua operação iniciada em 1999, sendo um dos pioneiros no jornalismo on-line.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo